Confira as 5 principais mudanças previstas para o MEI 2020

Se você é Microempreendedor Individual ou está cogitando a possibilidade de aderir a essa modalidade empresarial neste ano, então você não pode deixar de ler este artigo.

Nas próximas linhas, vamos falar sobre as principais mudanças previstas para o MEI 2020 e listaremos algumas dicas essenciais para quem é ou deseja ser um Microempreendedor Individual e começar a enfrentar os desafios do empreendedorismo.

Continue a leitura e fique por dentro de todas as novidades para essa modalidade no próximo ano.

5 mudanças para o MEI 2020

As mudanças para o MEI 2020 constam na Resolução CGSN n° 150/2019, publicada no Diário Oficial da União dia 6 de dezembro

São elas:

1 – Cadastro no eSocial

A partir de 2020, todo Microempreendedor Individual que tenha um funcionário contratado deverá inserir no sistema do eSocial todos os dados pessoais do colaborador, bem como aqueles relacionados a exames admissionais, periódicos e demissionais.

O envio da folha de pagamento do funcionário também passa a ser obrigatório a partir do dia 8 de janeiro de 2020. Feito isso, o sistema auxiliará o MEI nos cálculos da contribuição previdenciária, FGTS e qualquer outro encargo que deverá ser recolhido. www.gcerta.com.br

Adquira já a sua Maquininha de cartão e comece a vender mais agora mesmo!


www.leoda.com.br

2 – Mudança na nomenclatura

Algumas atividades não chegaram a ser excluídas do regime MEI, mas tiveram a sua nomenclatura alterada, conforme os exemplos abaixo:

Se a sua atividade apenas teve a nomenclatura alterada, basta fazer a atualização cadastral no Portal do Empreendedor através da opção “Alterar Dados”. Você tem até o dia 31 de dezembro para fazer caso queira evitar o desenquadramento automático.

Você já é MEI ou deseja se tornar um, conheça a OPEN MEI, uma contabilidade digital especializado em MEI. A burocracia deixe com a gente e pense somente no seu negócio. 

 

3 – Atividades excluídas

A Resolução consta também as atividades que não poderão mais fazer parte da modalidade de MEI em 2020, com destaque para aquelas de alta periculosidade.

Para as atividades excluídas, é necessário que o empreendedor faça a migração para o regime de Microempresa (ME) ou de Empresa de Pequeno Porte (EPP). Tudo isso pode ser feito no Portal do Simples Nacional.

Leia também: MEI: A importância de manter um contador sendo Microempreendedor Individual

4 – Contribuição mensal

Atualmente, os valores referentes à contribuição mensal de quem é Microempreendedor Individual variam entre R$ 50,90 e R$ 55,90, dependendo do tipo da atividade exercida.

Dentre os impostos cobrados nessa taxa única, está aquele destinado ao INSS, que sempre será de 5% sobre o salário mínimo vigente.

Logo, com o aumento do salário mínimo de R$ 998,00 para R$ 1.039, a contribuição mensal também deve aumentar.

5 – Declaração Anual de Faturamento – (DASN-SIMEI)

Todo ano, até o dia 31 de maio, o Microempreendedor Individual deve enviar a sua Declaração de Faturamento referente aos ganhos do ano anterior. Em 2020, a receita auferida com a prestação de serviços também deverá constar na DASN-SIMEI e não apenas a receita relacionada às atividades de comércio.

Achou complicado essas mudanças entre em contato com a OPEN MEI e tire todas as suas dúvidas.

Seja um dos nossos, seja um franqueado GCERTA.

Fonte<https://www.qipu.com.br/blog/mei-2020/> Acesso em: 29/01/2020 ás 17h40.